Follow by Email

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Poema que fiz: Estrela cadente.

Talvez ouvesse algo que te lembraria paz
Um jeito novo de renovar a vida
Sem ligar se tivesse balas atravessando teu caminho
Ao menos tranquilidade para aceitar esse carinho.
Centado no banco da praça, percebo algumas nuvens
Elas estão se comunicando
Lembro do dia que você fez o céu chorar
Lembro que tudo fazia sentido.
Um herói eu nunca precisei ser
Pois já tenha a quem me salvar
Sem precisar, nunca temi a minha jornada
Pois quando eu fechava os olhos via você, algo que tocava a alma.
Então eu segui
Pois muitas vezes fiquei cego
Só queria me jogar ao mar
Sem mais ter o que se preocupar.
Um girassol podia vir me buscar
Ter sorte um dia talvez
Ele poderia ser meu amigo, me leva até você
Ser um dia importante pra alguém, fazer tudo ter sentido, fazer eu viver.
Sem ligar para o relógio
Ou tempo que perdi olhando para as estrelas
Esperando que uma passasse para fazer um pedido
Seria tão belo, tão bonito.
As pedras não iram cair sobre você
Eu irei ser o seu guarda chuva
Mesmo que venha um dia a sofrer
Serei feliz em estar sobre suas mãos, sobre sua vida.
Os fracos ja se foram
Os fortes eu tento ainda manter
Para não se melhor que ninguém
Eu quero apenas aprender.
 Sei que não será perfeito
Mas aprendi também olhando para o céu estrelado
Que sua imagem tomava forma
Foi então a que eu fiz o meu pedido
Para você permanecer dentro de mim
Para que quando um dia o mundo viece a se esplodir
Eu tivesse olhando para uma estrela denovo.
Foi quando você apareceu
E eu já estava  feliz.

domingo, 16 de agosto de 2015

Poema que fiz: E Hoje eu já estou seguro.

As vezes tentamos ser mais que podemos ser
As vezes queremos apenas ser  o que mais importa  pra alguém
Tanto que muitas vezes esquecemos de ser nós mesmos
Por um pequeno detalhe, não depender de ninguém.
 As vezes você olha para lua a noite, e senti vontade de toca-la
De subir lá no alto, e descer super rápido
Sem se importa com a queda
Só se importa em quem vai estar lá para te salvar, estar ao seu aguardo.
 Digamos que seja meses, anos, dias, as vezes isso não importa
Porque só de saber, da vontade de sair correndo de casa
Para sem medo dizer
Hoje eu já estou seguro, já estou de bem com a minha alma.
 O inverno ele vem frio, as folhar que caiem da árvore muitas vezes se tornam cobertas
Para quem gosta de refletir
Sentar  no meio de tanta desavenças
De pensar que pode haver um herói, que podemos sem medo seguir.
 Se você presta atenção, nascemos para ser felizes
O que mais queremos é alguém que entenda nosso coração
Então pra que pensar em distancia
Se o que mais importa é ter você aqui, ser a minha razão.
 Deixe eu ter as minhas cicatrizes
Deixe o passado me ajudar a ser melhor
Todos nós temos que cair
para um dia chegar e saber para onde ir.
 E quando eu saio para buscar o jornal
antes de fazer o seu café na cama
eu já sei que você vai sorrir
Sem eu precisar dizer nenhuma palavra.
 Porque eu apenas acreditei
Que a vida as vezes não é tão bela
Mas eu sempre sonhei
que esse dia chegaria, o dia que eu não pensei em mim, pensei apenas  em te fazer feliz.
 E isso me tornou mais forte
Ter alguém que se torne essa armadura
Que nem balas atravessam
Que apenas a paz reina, que todos são iguais, todos merecem ter uma família.
 Então chega de dor
E os retratos continuem ali na sala
e a luz entre pela janela, e fique no quarto

Para eu ver o quanto é belo seu sorriso.

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Poema que fiz: Um jardim de sonhos

Uma flor nasceu
E logo desabrochou
Um belo outono se passou
Para que o vento chegue e leve tudo
Tudo aquilo que um dia te machucou
O ponteiro do relógio nunca se engana
Sai correndo  mas só via vultos
Cheguei mais perto
E lamentei não ver o seu sorriso
Catei cada folha e flor do seu jardim
Quando você sentou no seu lugar preferido para refletir
E sua mãe já gritou “vem pra dentro”
Eu me escondi, e fiquei atento a tudo
Em todos os seus movimentos
Vi que você se surpreendeu ao olhar a  cesta de flores que estava no seu bidê
Sua mãe me abanou, e eu sai com as mãos nos bolsos  com o dever cumprido
Que a noite ia chegar logo e ia me fazer criar histórias
Aquelas como um dia eu saberia que teria esquecer e encara a realidade
Que você estava lá no cantinho da sua janela pra me dar o tão esperado ''boa noite''
E eu já sabia qual história iria escolhe
A minha realidade sempre foi você.
Não importa onde estamos, ou que pode vir
O que importa mesmo é você correr atrás de seus sonhos
Pois cada folha e pedacinhos de flores no chão que você for juntar
Todas elas juntas podem sim representar
Uma nova chance, uma nova vida

E a pessoa vai te agradecer
Por você ser diferente, e as coisas mais simples fazem sim a diferença
O igual é uma questão  de dar o próximo passo.
Então seja esse passo...

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Poema que fiz: Vendendo sonhos

Caia realidade
me leve para um lugar seguro
ouço som de flautas pela estrada
um leve conforto em meu mundo...
Distante de tudo, ei que olho
um vento chamado distância
varrendo tudo que me amarga.
Suas mãos são o meu conforto
eu sei que elas estão sujas
Deixe as lagrimas caírem e a limparem
os cortes já não são tão profundos.
Uma casa chamada vida
um teto que se chama sonhos
um chão que irei  chamar de esperança
e no horizonte já sinto ele vindo, o conforto.
O relógio já quebrou
e a areia o tapou
sentado sobre a escada um desejo
que nem tudo seja dor.
Que as palavras um dia se tornem flor
e as mentiras janelas que não abram
trancadas pela mais forte madeira
a madeira que se chama sonho
de uma vida regada de felicidade
e eu já posso ser um vendedor.
O mesmo que vai chega na sua frente e dizer:
Já se foi o passado.  É hora de ser feliz, de abraçar a felicidade...

sábado, 23 de maio de 2015

Poema que fiz: Um novo retrato.

você se lembra?
quando eramos pequenos, o girassol era nossa casa
um único sorriso seu,  era o meu conforto
acordava cedo para te ver sobre a cafeteria que amava
e você sempre pedia algo bem quente e se encostava na janela
disfardamente, eu me escondia para você não ver
quando os meus olhos iluminavam a escuridão da solidão
era porque você logo em seguida sorria, sorria para o mundo
se importa com o pouco que tem, com as diferenças do dia a dia
sim eu via
as vezes até corria para ver você chegar
em um destino que muitas vezes não me importava
mas se algo acontecesse de errado
minha vida se tornava algo que não valia nada
pois o mundo pode te dar perigos, mas eu te salvo
salvar não é fácil, sabia?
imagine alguém que por muitos dias se escondeu
em algo que por muitas vezes não era ele mesmo
pois um abraço, faz a caída do penhasco ser menos dolorida
o relógio parou no tempo
as palavras começam a surgir sobre as poças de água
mas não estava chovendo
por muitas vezes eram lágrimas
e a coragem sobre de baixo do tapete se escondendo
hey amigo, a vida é muito mais do que orgulho
se sentir bem consigo mesmo é muito mais
do que ver as nuvens sobre as alturas
respira o mais limpo ar as vezes nos polui
o que adianta olhar pro lado e ver apenas sombras
enquanto o que mais você queria era estar de mãos dadas
com aquela sensação
hoje eu vou dormi feliz
pois eu corri atrás do que eu realmente amava
e as mágoas eu deixei com a história
que um dia talvez chegue cinzento e chuvoso , que talvez me sentirei sozinho
mas não estarei
porque tive a coragem, de dizer
EU TEAMO
e hoje o deserto que eu imaginava virou apenas uma cabana
que o vento nunca levara
pois eu tive coragem de esquecer o passado
e hoje estou sim de mãos dadas
já virou uma nova foto, um novo retrato.




sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Poema que fiz: Nunca deixe se levar para trás.

Nunca deixe se levar para trás
ao passar a ponte da solidão, lá longe quero estar
sobre uma sacola as maguas iram ficar
mesmo tendo apenas a lua como amiga
a barulhos que me dão arrepios
muitas vezes deixer de dormir para ser a sua luz
nas noites mais chuvosas eu era sua companhia
mesmo estando apenas olhando esse belo céu
as estrelas formam objetos conforme a minha saudade senti
e a minha saudade forma vários rostos, me confortando
não tenho mais travesseiro
mas tenho uma bela de uma coberta
deixei meu coração ficar mais quente
eu apenas pedi para me deixar livre, chega de cela
se for para voar, não terei mais medo
não sou um herói
heróis onde vocês estão
para fazer os olhos voltarem a acreditar
para fazer as balas pararem no ar
não quero ver mais você chorar
eu apenas vou correr de volta
não para voltar atrás
e sim poque eu sinto sua falta
e a verdade é que você é a minha vida
e sofrer não faz parte da conquista
eu apenas quero ser a ponte para que você passe, como eum dia eu já atravessei
e a solidão será apenas um conto de história
pois eu acredito ainda em nós...



sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Poema que fiz: A briza que me lembra você.

vento dono do meu coração
olhei você varrer as areias da praia pela manhã
não varra tudo
deixe eu sentir um pouco elas sobre minhas mãos
o ar mais puro e belo do verão
onde seu vestido são as folhas voando para longe da ilusão
a brisa me cega, faz esquecer de coisas que eu não quero lembrar
tão forte ao ponto de me fazer ali ficar
a noite toda na compania da luz do luar
a fogueira para afastar o frio
são as coisas boas que ainda me restam
o calor do seu beijo que ainda não foi embora
ou dos seus dedos sobre meus lábios me dizendo
calma e escute, que a felicidade está vindo agora
a grama não tem mais buracos
as flores não tem mais espinhos
e a rosa já está sobre o seu cabelo
e você já é o dona do meu sorriso
você pode me ver correr?
mas eu não vou cair
sobre o meu chão existe uma palavra chamada amor
é aquilo que me mantem aqui
até o mais belo diamante eu recusei
pois em você ele não ficaria bonito
pois um dia você me contou
que as pessoas são feitas de sentimentos, e não de caprichos
e hoje eu não me sinto mais sozinho
estou te esperando na mesma praia que nos conhecemos
e você ali já esta vindo
foi tão belo refletir coisas que ainda me mantem erguido
sou grato ao vento que trouxe seu chápeu até meus pés
o mesmo vento que uniu nossos caminhos
hoje você é a dona do meu pensamento
e o que está pra vir, pode vir
pois o muro eu já levantei
pois o seu abraço é a minha proteção, e sem ele eu não vivo.