Follow by Email

terça-feira, 8 de abril de 2014

Poema que fiz: Nuvens de esperança



Andei pelas nuvens
vi os raios cortarem o céu
fiquei com medo da chuva
mas sabia que lá no fundo, ela podia ser uma amiga fiel
não posso trazer certas coisas de volta
mas o caminho de volta eu tracei
desci jogado pelo arco Iris
fui amortecido pelo mar e descansei
penso em pessoas que se foram para nunca mais voltar
cortando meu coração o vento está em seu lugar
mas eu não estou
o caminho apenas começou, eu sei que vai demorar
a noite chegou
faz frio sobre a areia
a fogueira já foi feita
me perdi na saudade, me perco em tristeza
o relógio não para
como não para o som do oceano
trovoadas eu vi sobre lágrimas
eu já me fortaleci como um humano
posso ser o mais rápido correndo
mas não posso ser o melhor em fingir um sentimento
posso ser  melhor em dar abraços
mas não posso ser o melhor em dizer que me arrependo
pois até a mais bela canção tem suas derrotas e glórias
e eu não fui feito para esquecer as pessoas que eu amo
as pessoas que me fazem falta.
Eu sou um humano com esperança...

sábado, 15 de março de 2014

Poema que fiz:Um cobertor de folhas.



Você já parou pra pensa?
de quantas vezes você já sofreu
por coisas que nunca foram suas?
digamos que não tem limite
quando se gosta de uma pessoa
você pega água da geladeira
e volta pra cama pensando
de como poderia ser diferente
que amanhã ao levantar bem cedo para ir trabalhar
essa pessoa estará lá no final da rua te olhando
não com flores na mão
mas sim com um sorriso e dizendo
de como é importante e bom
ver  essa pessoa a dois centímetros dos meus lábios
talvez no inverno quando as folhas tiverem todas no chão
e não tiver mais quem  limpar elas daquele lugar
formaram uma cama para meus sonhos
aonde você sempre irá estar
e quando eu volta pra casa
tenha certeza que vou escrever
não digo todos os dias
pois alguns eu vou ter que te ver
mesmo que seja escondido atrás do muro da escola
ou do seu trabalho
ou da sua própria casa
aonde meus erros foram enormes diante de tão pouca coisa
foi tão poucas palavras
eu consegui fazer o que era bom
se torna uma tempestade
humildade no meu coração tenha ido embora
com ela você mudou de cidade
foi ai que aquela cama de folhas
se tornaram meu psicólogo
todos os dias tenha medo do vento
pois o meu cobertor era os meus pensamentos
diante de tanto frio
diante de tanto medo
o que eu aprendi com o tempo
foi a dar mais valor a mim mesmo
perdendo tudo, mas eu sei que um dia
tudo isso pode voltar
no coração de outra pessoa
é aonde eu posso ficar
pois os erros que eu cometi no passado
com ela eu vou consertar...


segunda-feira, 3 de março de 2014

Poema que fiz: Vou lutar por um mundo mais justo...



As vezes não quero olhar
as vezes quero apenas sentir
imagine algum lugar
onde você irá caminhar sem ninguém ao menos tentar te atingir
com desenhos sem cor
sem objetivo a trilhar
com apenas uma espada diante mão
eu deixei cair a razão de acreditar
a lua brilhou em seus olhos
o rancor tomou vida
sobe a bela paisagem fui tomado por sua ira
também tenho sonhos
alguns já realizei
já fiz pessoas sorrirem
já nem lembro quem
nunca comprei amizades
sempre as ganhei
quando entrei na sua rua
foi quando tudo depois aconteceu,  e logo imaginei
se a chuva caísse em forma de flores
eu sempre iria pegar algumas
para perder vários dias as pegando
para chegar certo dia e te dizer
 sou igual a você
um mundo tão desigual
aonde pessoas de ternos se dizem todos serem iguais
mas quando estendo a mão para ter o reconhecimento
é a mesma coisa que esperar por ninguém
o silêncio faz de mim uma pessoa pior
com as mãos sobe algemas
me torno apenas um esquecimento
aonde suas costas se tornam o meu julgamento
não há mal nenhum em ter o mesmo tom de pele
ou as mesmas cores dos olhos
pois a vontade de ter um abraço seu
foi meu destino que mostrou para eu ser algo a mais do que seu ódio
algumas vidas serão deixadas de lado
mas a minha eu já colori
ser diferente de você
não fui eu que escolhi
foi apenas quando eu disse “Vou lutar por um mundo mais justo”

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Poema que fiz: Longe de casa



Fui pro mar tentar esquecer

a brisa me trouxe algo novo

não era você, bem que eu queria

mas talvez não seja tão triste, seja apenas louco

aquela sensação de dominar o mundo

com tão poucas palavras

as vezes nem me mexo da cama

mas em sonhos vejo eu feliz sorrindo ao seu lado

as tatuagens foram as marcas do passado

a expressão no rosto de quem mais amo se foi embora

meu bolso furou e o pouco que eu tenha comprei duas passagens

uma de ida e torcendo para que não tenha volta

logo vi você sorrindo sobre a mesa de brilhar

pedi duas cerveja ao garçom

resisti ao máximo em não correr para te atrapalhar

seus amigos logo se afastaram viram que era a hora de voltar

flores eu não trouxe, acho tão brega

você logo sorriu e disse ‘’ fez certo em não trazer o que já era certo’’

logo notei que já estávamos amigos de novo

foi o que ela sentiu

No exato momento que toquei sua mão

não menti quando senti a tristeza

mas o tempo faz de nós correntes ao um passado

foi quando toquei no bolso e vi que estava com a outra passagem

e hora de volta pra casa

quando sai e vi a lua logo ela tornou- se uma amiga

não foi o que eu tenha planejado

o correto era te arrastar para o começo

aonde a brisa do mar fez essa história valer a pena

mas caminhos tem outras direções

e lamentar da vida só os fracos viram presos dessa solidão

foi quando 10 segundos depois olhei pra trás

e você disse “perdão”

mas não esqueci da cor daquele dia  quando bateu forte meu coração

foi quando queimei a outra passagem

e já era um novo dia, uma nova noite

um novo clima uma nova história de verão...
estava longe de casa










quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Poema que fiz: Vai cair chuva



vai cair chuva
e ela lembra você
meu castelo de areia é tão bonito
pois sim, ele vai desaparecer
vejo pessoas atrás se escondendo sobre muralhas
a fogueira está acessa a dias, foi um canto seu que me deixou acordado
lutei por noites, estou tão fraco
me de a mão, não deixe eu cair
perdido em solidão
vi o mundo desaparecer, não vi mais o mundo sorrir
a armadura foi feita de pensamentos
a guerra eu fui mandado
cartas chegaram, mas logo foram queimadas
tudo que eu senti, tudo que eu tocava machucava
tomei coragem fui a estação
um moço cobrou a passagem
disse sorrindo,  lá fica a terra por onde ninguém andou
a coragem eu tenho,  disse eu estufando o peito
caminhar, correr, viver in vão
quem um dia nunca sonhou?
não depender de outros para sentir o amor
foi quando a voz da razão se calou
pois eu nasci para ser feliz
não para lamentar o que eu perdi
jogar a moeda e depender da sorte é muito fácil
não joguei..
sou apenas um homem cheio de falhas
mas que hoje você reconhece
que desistir não é uma opção
foi quando abri sua janela e te disse
que voltaria mais uma vez
não para com certeza tudo que errei
mas sim
para dizer que nunca é tarde para viver
e eu não vivo sem você...